sexta-feira, 11 de maio de 2012

KARLINE BATISTA : ENTREVISTADA PELO BLOG MERGULHANDO NA LEITURA




Depois de um enooorme tempo sem dar notícias retorno com uma montão delas! Mais calma...contarei/postarei aos poucos. E para começar, nada melhor do que contar sobre a entrevista que concedi ao  blog Mergulhando na Leitura  do talentoso Ygo Maia. Agradeço pelo convite e expresso meu contentamento em concedê-lo. Sem mais delongas transcrevo a entrevista e convido a todos para que visitem o blog do Ygo. Vale a pena!

E com vocês :  

Entrevista com Karline Batista

Mais uma entrevista aqui no blog "Mergulhando Na Leitura". Dessa vez com a estudante aracatiense Karline Batista. Confiram:


Nome completo – Karline da Costa Batista 

Data de nascimento – 11/03/1988

Naturalidade – Aracati-CE

Grau de formação – Letras - Língua Portuguesa (Graduanda)

Profissão – Estudante



Ygo: Quem é Karline Batista?
Karline: Preferiria fugir das definições por eu ser ainda um ser em construção. Todavia é certo dizer que sou uma mulher que vê poesia em tudo e que busca mais a sabedoria do que o conhecimento. Criada no Córrego dos Rodrigues, uma região que até pouco tempo tinha características rurais, aprendi a ter um profundo respeito com a natureza. Gosto de ler, de aprender e de ensinar. Procuro manter um olhar otimista sem deixar de ser realista. Considero-me um aprendiz da vida!

Ygo: Quando você descobriu que tinha o dom para escrever poesias/poemas?
Karline: Descobri através da minha sede voraz por leitura. Meus pais sempre me incentivaram a ler, mas havia um problema: eu não dispunha de livros. Aracati é uma cidade que não tem livrarias e só recentemente ganhamos uma biblioteca pública mais organizada. Então comecei a confeccionar os meus próprios livros. Inventava as histórias, fazia os desenhos, a capa, colocava o meu nome, isso aos sete, oito anos. Um dia, aos dez anos, uma professora leu para nós um poema muito bonito que somente depois fui saber que se tratava do Soneto de Fidelidade de Vinicius de Moraes. Aqueles versos tocaram em mim de um jeito inesquecível e foi então que disse para mim mesma que queria produzir textos daquela forma. Relendo alguns manuscritos daquela época vejo que a maioria dos meus poemas versava sobre o meu “eu” e esse é um tema muito forte e complexo para uma criança de onze, doze anos. Mas foi assim que se deu e que de repente me descobri poetisa.

Ygo: Recentemente, você foi finalista no Prêmio Cecílio Barros Pessoa de Poesia, em Arraial do Cabo/RJ. Como foi essa experiência?
Karline: Ainda hoje me emociono com conquistas como esta. Vivenciar esta experiência foi altamente gratificante, pois escrevo para me expressar e colocar no papel coisas que penso e sinto. Sei que isso é bem clichê, mas é o que é. Experiência semelhante eu vivi ano passado ao conquistar o 2° lugar dentre mais de 500 inscritos no I Prêmio Alt Fest! de Poesia em Olinda. E então quando você percebe todo este trabalho sendo mais uma vez reconhecido, ou no caso, agraciado com a 8ª colocação não tem como não conter a emoção. Em Arraial do Cabo ao todo foram 286 inscritos que passaram pela exigente banca de jurados formada pelo presidente e membros da Academia Cabista de Letras (organizadora). Esta conquista significa muito para mim, pois é a confirmação de que estou no caminho certo.

Ygo: Ainda sobre o Prêmio Cecílio Barros, você concorreu utilizando um pseudônimo. Quem é a “Lady Cecília de Aquitânia”? 
Karline: Lady Cecília, duquesa de Aquitânia e condessa da Gasconha, (atual França). Aprendeu a apreciar poesias lendo poemas de um antepassado seu, o duque Guilherme IX um dos primeiros trovadores da Idade Média entre outros. Culta, domina dez idiomas, mas considera o português a sua pátria linguística. Sua personalidade forte, sagaz e vasto conhecimento forjam comparações com outro antepassado, a saber, a rainha da Inglaterra Eleonora de Aquitânia. Uma curiosidade é que em um passado bem distante Aquitânia foi a mais rica e culta província da França e grande parte deste desenvolvimento se deu através de Eleonora, então rainha em pleno século 12. Atualmente os brasões e títulos conferem apenas histórias à Lady Cecília sendo o seu único reino e soberania a poesia. E quem é Lady Cecilia Franco Poitiers Baptista de Aquitânia? É última herdeira da Casa Real dos Poitiers, nascida aos 28 de fevereiro de 1988 na cidade de Donostia (País Basco - Espanha). Aos 12 anos muda-se com a família para o Ceará fixando residência em Aracati. Descobre-se poetisa ao caminhar pela Praia de La Concha (Donostia) escrevendo seus primeiros versos na areia. Embora seja basca por nascimento sente-se inteiramente brasileira. Há um provérbio basco que diz: "Ametsik gabeko bizia, izarrik gabeko gaua" que quer dizer "Uma vida sem sonhos é como uma noite sem estrelas". E é nisto que Lady Cecília acredita.
Ps.: A escolha do pseudônimo se deu por exigência do edital. Lady Eleonora de Aquitânia proporcionou-me parte da inspiração substituindo apenas Eleonora por Cecília (nome da minha mãe) que para mim é um nome nobre.

Ygo: Graduandos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF – MG) criaram a revista “Um Conto. Alguma Literatura.” Conte um pouco sobre esse projeto no qual você foi selecionada para participar.
Karline: A revista “Um Conto. Alguma Literatura” foi outro momento importante. O referido projeto é desenvolvido por graduandos de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora e recebe poemas e contos de diversos lugares tendo a difícil missão de selecionar apenas cinco poemas e um conto. Com intuito de promover a poesia marginalizada que muitas vezes não tem espaço, a Um Conto oportuniza esta divulgação incentivando o gênio poético e assim, em fevereiro de 2012, tive o privilégio de ser um dos escolhidos. Depois de selecionados, os autores devem enviar uma minibiografia e indicar uma música e um livro a compor um post no blog da revista. Este é um projeto sensacional.
Para conhecer o blog da revista Um Conto, clique aqui.

Ygo: Em janeiro, houve mais uma edição do projeto “Um poema em cada árvore”. Qual foi a sua reação ao saber que um poema seu estava em uma árvore na cidade de Governador Valadares/MG?
Karline: Alegria total! Primeiro pela ideia geral do próprio projeto, que convenhamos, é inusitado e original. Segundo por saber que um poema meu seria exposto numa rua de Governador Valadares acessível à centenas de pessoas. É uma experiência única na vida de qualquer poeta, pois é a poesia que vai ao povo, apresenta-se a ele sem imposição. O mundo moderno costuma esquecer e desprezar gêneros como o poético, o que é um erro, uma vez que a poesia proporciona bem-estar, serenidade e inibe o estresse. E vejo isto neste projeto: a missão de incentivar a leitura e produção de poesias promovendo hábitos saudáveis. 

A poesia proporciona bem-estar, serenidade e inibe o estresse, diz Karline  Batista.

Ygo: Você acha que o projeto “Um poema em cada árvore” daria certo na cidade de Aracati/CE?
Karline: Com certeza! Aracati conserva uma veia poética intensa e embora uma parte da população esteja alheia a isso, a poesia ainda é atrativa para o aracatiense. Este projeto teria sucesso se implantado em nossa cidade desde que se dê um fim ecologicamente correto aos poemas depois de expostos. No caso de Governador Valadares, após a exposição, os poemas são distribuídos em eventos culturais. Através de parcerias, houve uma edição em Xapuri (AC) e Rio Branco (AC) e isto reforça a minha crença de que este projeto daria certo em Aracati e região. 

Ygo: Você já pensou em escrever um livro de poesias/poemas?
Karline: Sempre tive vontade de produzir um livro de poesias e este projeto ficou adormecido até que recentemente, dado os últimos acontecimentos, esta ideia vem ganhando força. Não tendo nada programado para um futuro próximo. No entanto este ano será publicada uma antologia pela BigTime em que três poemas meus foram selecionados.

Ygo: Numa escala de 0 a 10, quanto a Karline Batista atinge como pessoa?
Karline: Acredito que 9.  É um tanto presunçoso mais sinto que é assim. Procuro manter canais abertos com aqueles com quem convivo, facilitando o diálogo, criando pontes e fortalecendo os laços. Pois mesmo quando as pessoas passam rapidamente por nossas vidas, elas carregam uma impressão a nosso respeito. Sou consciente disto e procuro manter uma postura positiva fazendo com que meus atos revelem princípios como amor e serenidade sabendo também que isto vai da concepção de cada um. Por isso, 9.

Mergulho Rápido

Ygo: Uma palavra...
Karline: Perseverança!
Ygo: Leitura...
Karline: Eclesiastes!
Ygo: Um lugar...
Karline: Minha casa!
Ygo: Amizade...
Karline: Afinidade!
Ygo: Uma comida...
Karline: Lasanha!
Ygo: Alguém especial...
Karline: Meus pais!
Ygo: Uma música...
Karline: Tocando em frente!
Ygo: Deus...
Karline: Amor!

4 comentários:

lena disse...

Olá Karline.
Gostei muito de ler a entrevista. Muito bem conduzida e muito bem respondida.
Beijinhos grandes.

Karline Batista disse...

Lena, obrigada pela visitinha!

Um xeruh

Karline Batista disse...

Lena, obrigada pela visitinha!

Um xeruh

Elyson Pontes disse...

Oi Karline, olha eu aqui, kk adorei a entrevista, pude conhecer melhor

Postar um comentário

Oba, vamos interagir?